Destaques

Fapergs destaca-se em programa da Finep e terá financiamento de R$ 15 milhões

Com um projeto de apoio à inovação de micro e pequenas empresas (MPE’s), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) classificou-se com destaque no programa nacional Tecnova da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). O programa selecionou propostas que visam fomentar o desenvolvimento tecnológico de empresas, com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões, através da concessão de subvenção econômica, que para as MPE’s gaúchas disponibilizará um total de R$ 25 milhões.

Melhor classificada dentre as seis instituições participantes nas Regiões Sul e Sudeste, a fundação gaúcha contará com um aporte financeiro de R$ 15 milhões da Finep, com uma contrapartida de R$ 10 milhões provenientes da Fapergs juntamente com a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e Federação das Indústrias do Estado (Fiergs). Para desenvolver seu projeto,conta ainda com o apoio da Badesul, Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT), Secretaria de Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe), Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção de Investimento (AGDI), Rede Gaúcha de Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos (Reginp) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

“Este resultado reflete a maturidade do Rio Grande do Sul na área da ciência, inovação e tecnologia, pois se sabe que existe uma comunidade muito grande de pesquisadores e empresas que poderão se beneficiar destes recursos. É importante destacar também o comprometimento de todos os parceiros, com o desenvolvimento do Estado”, declarou a diretora-presidente da Fapergs, Nadya Pesce da Silveira.

Previsto para ser lançado ainda em 2013, o programa prevê um apoio para até 75 empresas do Estado, com um valor máximo de até R$ 660 mil durante um período de 24 meses. Do total de projetos aprovados, 40% deverão atender demandas de segmentos de Petróleo e Gás, Energias Alternativas e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e 60% dos setores de Saúde Avançada e Medicamentos, Calçados e Artefatos, Madeira e Móveis, Metalmecânico-automotivo e Agroindustrial