RAIAR e TECNOSINOS, os melhores do Brasil

A Incubadora Raiar, do Tecnopuc, foi eleita hoje, pela Anprotec, como a melhor incubadora multissetorial, e o Tecnosinos, da Unisinos, como o melhor parque tecnológico, brasileiros, no Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador.
O sistema de inovação gaúcho mostra, mais uma vez, a sua força e pujança. Contando com os programas estruturados pelo Governo do RS, através da Secretaria de Ciência, Inovação e desenvolvimento Tecnológico, e as atividades associativas da Reginp, nossas incubadoras, parques e aceleradoras, têm alcançado um nível de desempenho ímpar, e agora reconhecido nacionalmente.
Parques e incubadoras do RS já haviam conquistado este tipo de reconhecimento, mas agora, pela primeira vez, um parque e uma incubadora, simultaneamente, alcançam esta distinção.
Parabenizamos os agraciados e esperamos que, nos próximos anos, mais parques e incubadoras de nossa Estado sejam agraciados neste e em outros concursos.

Nenhum comentário.

REGINP publica edital para Locação de Veículo

A REGINP abre processo de seleção de empresas para locação de veículo.

O edital estão publicado no link Editais, no menu do site.

Nenhum comentário.

Resultado dos editais de seleção

Confira no item “Editais” os resultados dos processos.

Os últimos resultados foram publicados no dia 20/03/2014 as 9:00.

Nenhum comentário.

Plano Inova Empresa

Governo anuncia R$ 32,9 bi para inovação

14 de março de 2013

A presidente Dilma Rousseff lançou nesta manhã (14/03), em cerimônia no Palácio do Planalto, o Plano Inova Empresa, que integra diferentes ministérios e fontes de recursos e vai aplicar R$ 32,9 bilhões em inovação nos próximos anos. O Plano está diretamente alinhado com os esforços da Finep – Agência Brasileira da Inovação.

São quatro linhas de financiamento para atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação: subvenção econômica a empresas (R$ 1,2 bilhão); fomento para projetos em parceria entre instituições de pesquisa e empresas (R$ 4,2 bi); participação acionária em empresas de base tecnológica (R$ 2,2 bi) e crédito para empresas. Esta última, com disponibilidade de R$ 20,9 bilhões, oferecerá empréstimos com taxas de juros subsidiadas (2,5% a 5% ao ano), quatro anos de carência e 12 anos para pagamento. Os agentes executores são a Finep, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), e o Banco Nacional Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Além dos R$ 32,9 bilhões já programados, o Plano deverá receber um aporte de mais R$ 3,5 bilhões, por meio da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), para atividades de P&D no setor de telecomunicações. Os recursos estão condicionados ao término de processos de regulação do setor, atualmente em consulta pública.

Somados os recursos próprios e as iniciativas conjuntas com outras instituições, a Finep vai operacionalizar cerca de 40% dos recursos anunciados, abrangendo modalidades como crédito e subvenção econômica, além dos financiamentos dedicados a instituições científico-tecnológicas.

“Com este Plano, o financiamento do Governo Federal para inovação tecnológica atingirá um patamar sem precedentes. Estamos dando um salto rumo à consolidação da ciência, tecnologia e inovação como eixo estruturante e sustentado da economia brasileira”, avalia o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, responsável pela articulação do Plano Inova Empresa junto aos demais ministérios envolvidos.

“Não faltarão recursos para quem inova”, afirma o presidente da Finep, Glauco Arbix. Ele acredita que há uma nova cultura de inovação em curso. “Com este Plano, busca-se criar um ambiente amigável, diminuir a carga de burocracia das empresas e mitigar os esforços entre os diversos agentes envolvidos com a inovação”, explica.

Durante a cerimônia, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil tem condições de dar a importância à questão da inovação necessária ao país. “Esse encontro ocorre sob uma bandeira que eu considero estratégica para o Brasil que é a inovação. A Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) está em perfeita sintonia com a visão que o governo federal tem para um dos desafios fundamentais que é o desafio de construção de um país inovador, que tem que ser construído. (…) Inovar para o Brasil é uma questão de estar a altura do seu potencial”, afirmou Dilma.

Gestão e estímulos a ações

O Plano Inova Empresa terá um comitê gestor formado pela Casa Civil da Presidência da República, pelos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, e da Fazenda, além da recém-criada Secretaria da Micro e Pequena Empresa.

O Plano tem a participação ainda de outros oito ministérios: Saúde, Defesa, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Educação, Trabalho e Emprego, Comunicações, Minas e Energia e Meio Ambiente.

*Com informações da Finep

1 Comentário

XXIII Seminário Nacional ANPROTEC

A Anprotec e o Sebrae recebem, até o próximo dia 25 de março, o resumo de trabalhos a serem apresentados no XXIII Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. O evento será realizado em conjunto com a 30a Conferência Mundial da IASP, entre os dias 14 e 17 de outubro deste ano, em Recife (PE).

Nesta edição, a Chamada de Trabalhos do Seminário Nacional traz algumas inovações. Entre elas, está a eliminação da exigência de enquadramento dos artigos em plataformas estratégicas — estabelecidas em chamadas anteriores. Agora, é possível inscrever trabalhos que relatem experiências mais abrangentes, desde que respeitado o tema principal do evento: habitats de inovação formatando novas cidades.

Outra inovação da Chamada é a introdução de uma modalidade de apresentação de trabalhos voltada a pessoas que tenham história de vida marcante, com a realização de algo que possa ter impactado positivamente sua cidade. Esses trabalhos poderão ser apresentados na categoria pôster.

Submissão

O objetivo da Chamada é reunir relatos de iniciativas que mostrem como parques tecnológicos, incubadoras de empresas e empreendimentos inovadores contribuem para promover transformações nas cidades, tendo em vista os desafios e potencialidades para o desenvolvimento do planeta. Os proponentes podem abordar experiências de incubadoras de empresas, parques tecnológicos, aceleradoras de empresas ou mecanismos similares, bem como o papel da cultura empreendedora, a exposição de políticas públicas que se mostraram relevantes ou qualquer outro tema que esteja claramente alinhado às discussões promovidas pelo Seminário. Os trabalhos poderão ser apresentados em três categorias: Artigo Completo; Pôster e Boas Práticas de Empresas.

Na categoria Artigo são aceitos textos inéditos, em português, com resumos em inglês e tamanho entre 5 mil e 6,5 mil palavras. Os pôsteres são artigos curtos, com até 1,5 mil palavras, focados em retratar práticas e experiências inovadoras. A apresentação deve ser feita em um pôster bilíngue, que será exposto no Fórum Interativo do evento. Já a categoria Boas Práticas de Empresas tem como objetivo identificar empreendimentos ligados ao movimento que apresentem bons resultados.

Etapas

A submissão dos trabalhos será realizada em três fases. Na primeira, que segue até 25 de março de 2013, devem ser enviados os resumos em inglês, com até 500 palavras. Os selecionados nesta fase devem enviar, até 10 de junho de 2013, o texto completo em português e o resumo em inglês. Para os proponentes que passarem nessa segunda etapa, o prazo para envio dos textos finais em português, acompanhados do resumo em inglês, encerra no dia 19 de agosto de 2013.

Serão selecionados até 30 artigos; 60 pôsteres e 20 boas práticas de empresas. O melhor artigo receberá crédito de R$ 2.000,00 em cursos e eventos promovidos pela Anprotec; o autor do pôster vencedor e a empresa que apresentar a melhor boa prática ganharão R$ 1.500,00 cada em crédito para participar de cursos e eventos promovidos pela Associação.

Confira o Regulamento e mais informações em http://www.iasp2013brazil.com/.

1 Comentário